Psico-engate

O encarte da arte,
que abominável parte,
apunhalando as ideias
e persistindo no empate.
Vendado na pior cena,
escravo digno de pena.
Meu corpo jaz aqui,
Mas minha consciência está em Marte.
Alienação obscena,
aniquilação serena.
Conflitos infinitos.
Ego em combate.
Sonhando com o exit,
estagnado no start.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s